Portal do Governo Brasileiro

OK

16/12/2011
Representantes das cidades-sede da Copa participam da 4ª Reunião Temática da Transparência

Com o objetivo de propor políticas públicas e soluções técnicas necessárias, exigentes e transparentes que garantam a formação de um legado alinhado aos interesses estratégicos do País a partir da realização do evento de 2014, o encontro reuniu representantes das cidades-sedes do evento para discutir o tema.

Fazem parte da comissão organizadora da Câmara Temática a assessora da Secretaria Federal de Controle Interno (SFC) da CGU, Maria de Fátima Rezende; a vice-coordenadora do Grupo de Trabalho Copa/AGU, Tereza Cristina Melo Costa; e o gestor de projetos do Ministério de Esportes, Luciano Mattos. "Estamos discutindo soluções técnicas dentro do governo federal, estados e municípios, com vista a melhorar as ações de transparência na Copa de 2014, buscando caminhos, meios e procedimentos que possam garantir esse controle", afirmou Rezende.

Duas palestras abriram os primeiros trabalhos do evento na manhã da quarta-feira. Na primeira, o chefe da Consultoria Jurídica do Ministério do Esporte, Wladymir Camargos, falou sobre a "Lei Geral da Copa". Camargos esclareceu pontos sobre o Projeto de Lei, enviado ao Congresso Nacional, como a concessão de vistos para turistas e trabalhadores durante o Mundial.

O segundo palestrante, o analista de Finanças e Controle da CGU, Renato Capanema, discorreu sobre a Lei de Acesso à Informação (nº 12.527/2011), que deve contribuir também para ampliar a transparência dos insvestimentos para a realização da Copa no Brasil.

Grupos de Trabalho

À tarde, os organizadores dividiram os trabalhos em três grupos temáticos. O GT-1 "Portais da Copa" discutiu as formas de coordenação de todos os sites públicos - onde há inúmeras informações espalhadas sobre o tema - no âmbito da União, dos estados e municípios.

O GT-2 "Demandas da Sociedade Civil" contou com a participação do Instituto Ethos. A respeitada Ocip, sediada em São Paulo, tem bagagem na troca de experiências e desenvolvimento de ferramentas para auxiliar as empresas a analisar suas práticas de gestão e aprofundar seu compromisso coma responsabilidade social e o desenvolvimento sustentável.

No GT-3, batizado de "Legado da Copa", o foco se manteve numa espécie de inventário do que ficará para a sociedade das obras e ações pós-Copa, como a construção de estádios, investimentos em melhorias de serviços púlbicos, entre outros.

A programação continou na quinta-feira (15) com a apresentação dos trabalhos dos grupos e as providência para o devido encaminhamento dos resultados obtidos durante os dois dias do encontro. A próxima reunião está agendada para março.

 

Assessoria de Comunicação Social
Controladoria-Geral da União

voltar para o menu acessível